O modelo Toyota de produção em favor da sua academia
O modelo Toyota de produção em favor da sua academia
Posted by

O modelo Toyota de produção em favor da sua academia

 

Muitas e muitas vezes, em nosso negócio, nos perguntamos quais investimentos poderíamos fazer para aumentar o lucro da nossa empresa. Deve-se sempre buscar melhorar a qualidade dos produtos e serviços oferecidos, agregando assim valor ao consumidor final. Investir em processos pode também ser uma boa ideia, pois é uma maneira de cortar gastos desnecessários. Com base nisso, muitas empresas estão adotando o sistema Toyota de Produção.

O sistema Toyota tem como princípios básicos o sistema Just in Time, o sistema de Manufatura Enxuta (Lean Manufacturing, em inglês), o Kanban e o Heijuna. Com base nesses quatro sistemas de gestão a produção fica mais ágil e menos custosa. Esse sistema foi desenvolvido pela Toyota entre 1948 e1975 e ainda hoje é utilizada na Toyota e em outras empresas do mundo inteiro.

O Just in Time, é um modelo aplicado para não haver excesso de produção. Desse modo também se evitam os estoques, e o capital de giro parado. Ele funciona do seguinte modo: A matéria-prima chega à fábrica somente no momento necessário para entrar na cadeira produtiva da empresa e serem finalizados a tempo de entregar. Para que se consiga a matéria-prima sempre que necessário, é importante que hajam canais de distribuição eficientes e que os fornecedores sejam treinados para entregar os materiais, mesmo que em pequenas quantidades, no tempo esperado. No caso das academias, relacionamos com a frequência e assistência dos clientes e os canais de distribuição, os colaboradores.

A técnica do Kanban serve basicamente para organizar a produção e a distribuição dentro de uma indústria. Esse sistema é uma ferramenta para aplicar o Just in Time no dia a dia da empresa. Uma placa com um aviso é levado à um setor da produção, especificando a quantidade que deve ser produzida, quando o setor acaba de produzir essa placa passa para o próximo setor na escala de produção, até que o produto esteja finalizado. Essa placa dita o ritmo da produção e propõe aumentar a produtividade dos trabalhadores. Nas academias, esse método representa o quadro de aulas e serviços que são oferecidos para os clientes e as métricas para assistência e participação nas aulas.

O Sistema de Manufatura Enxuta tenta reduzir sete tipos de desperdício que normalmente ocorrem nas empresas:

  • Busca-se com a aplicação desse sistema diminuir os erros até tornar a produção livre de erros, vindo a ser assim uma empresa focada completamente na qualidade. Sua academia tem falta zero de colaboradores? Equipamentos funcionando todo o tempo?
  • O segundo passo, segundo esse sistema, seria eliminar custos de todas as atividades que não tem valor agregado, ou seja, vender ou alugar prédios que não estão sendo utilizados e demitir pessoas que não estão produzindo. Quais indicadores você usa na sua academia? Só é possível melhorar o que é medido. Para cumprir esse parâmetro é fundamental o monitoramento de resultados.
  • A terceira etapa é buscar uma melhoria contínua através da troca de informações para otimizar cada vez mais os processos. Quando o produto chega ao final da cadeia produtiva deve ser retirado ou enviado para o cliente final. E como fim dos desperdícios, a empresa deve investir em flexibilidade. Com baixos estoques fica mais fácil diversificar e acompanhar as tendências do mercado, como a variedade pode ser grande e a produção é menor ela não compromete os resultados. Como você acompanha a satisfação dos seus clientes na academia? Você dedica tempo para escutar a opinião dos seus colaboradores?

O último sistema proposto por eles é o Heijunka, que nivela a quantidade com os tipos de produtos. Através desse sistema, há uma combinação de itens diferentes para estabelecer uma produção contínua, em lotes subdivididos. Permite que se produzam lotes menores e que os estoques sejam reduzidos. O maior benefício é que a produção é nivelada para todos os dias, sem precisar haver picos de produção e horas extras. É importante acompanhar o mix de produtos na sua academia para identificar o cliente com as necessidades para cada tipo de produto e organizar sua oferta com a demanda. Ter produtos que são tendência ou moda, nem sempre é garantia de sucesso.

Esse modelo já funcionou e continua funcionando com muitas empresas. Ele é eficiente e se foca no aumento da produção e diminuição de gastos desnecessários. É através da dinamização que isso é possível. A organização dos produtos e gastos trazem grandes benefícios a médio e longo prazo, e podem ser um investimento certeiro na empresa.

Ricardo Cruz é CEO e Fundador da B2F Gestão de Academias

Comments

0 Comentários desativados em O modelo Toyota de produção em favor da sua academia 1481 29 março, 2016 Gestão de Academias, Ricardo Cruz março 29, 2016

About the author

Thais Almeida é diretora e curadora de conteúdo deste portal.

View all articles by Administrador

Pesquisar

Cursos

Facebook