Assédio Moral: o que é e como evita-lo!
Assédio Moral: o que é e como evita-lo!
Posted by

Assédio Moral: o que é e como evita-lo!

“Ninguém pode fazer com que você se sinta inferior sem o seu consentimento”.

Eleonor Roosevelt

Quando se ouve a palavra assédio em um ambiente de trabalho, o que vêm à mente das pessoas de uma maneira geral é o assédio sexual. No entanto, outro tipo de assédio, tão antigo quanto o trabalho é o assédio moral. Chamar a atenção das pessoas em frente aos outros, colocar as pessoas em situações humilhantes com “xingamentos” em tom irônico, estipular metas inalcançáveis, tratar de maneira diferenciada um colaborador enquanto privilegia outros, negar folgas e emendas de feriado a alguém específico e de forma recorrente e colocar apelidos de tom pejorativo no empregado, pode configurar o assédio moral.

O que fica mais bem evidenciado no assédio moral é a repetição destas atitudes que tornam o ambiente de trabalho insustentável para o colaborador. Normalmente estas atitudes de constrangimento causam danos psicológicos e morais e atingem os direitos pessoais do indivíduo como a honra, a liberdade, a intimidade e a imagem podendo acarretar em danos físicos, porque, dependendo do nível de sofrimento psicológico, é comum aparecer doenças. Um bom exemplo disso é o estresse físico e emocional onde o empregado demonstra desânimo e falta de criatividade.  Em se tratando de desempenho, o fator mais complicado e que compromete os resultados é que conforme a pessoa se vê obrigada a se desenvolver profissionalmente em função das novas políticas de gestão que exigem mais e mais dos colaboradores, esses distúrbios psicológicos colocam em risco o futuro da pessoa e, consequentemente da empresa.

Por outro lado, muitos acreditam que se não aceitarem as imposições e pressões psicológicas, correm o risco de perderem o emprego. Além dos superiores, são comuns os colegas de trabalho terem atitudes de humilhar seus colegas. Algumas pessoas repetem a atitude do chefe ou ficam em silêncio quando veem uma situação dessas, por puro medo de ter que passar pelo mesmo constrangimento ou, simplesmente, o risco de perder seu emprego. Vale lembrar que os gestores também sofrem pressão toda vez que são imbuídos na missão de atingirem metas cada vez mais agressivas, transmitindo essa angústia para a equipe e até para a família. O problema é estrutural nas empresas e, neste sentido, vale pensar em investir num programa de gestão de pessoas para proporcionar ao corpo de colaboradores, maior equilíbrio emocional e mais discernimento em administrar suas expectativas em relação aos resultados.

Uma das principais causas do assédio é o desejo do empregador em demitir o empregado. Para não arcar com os custos de uma demissão sem justa causa, o empregador busca criar um ambiente insustentável na expectativa de que o empregado acabe pedindo demissão.

Em se tratando do mercado de fitness, muitas pessoas sofrem com as expectativas das empresas que, na grande maioria, cobra do profissional uma conduta e aparência “saudáveis”. De modo geral, entre as pessoas que mais sofrem este tipo de pressão e mercado são os profissionais que adoecem frequentemente, os de meia-idade, os que possuem salários altos, os que estão “fora de forma” e gestantes. É fácil entender: se alguém está isolado dos demais, exposto a situações de humilhação onde sua palavra não tem valor ou poder de decisão, propenso a doenças ou forçado a pedir demissão, pode ser caracterizado como alguém que esta sofrendo assédio moral. Para identificar quem está cometendo o assédio (gestor ou não) basta observar se essa pessoa procura inferiorizar, amedrontar, menosprezar, difamar, ironizar, “dar risinhos”, chamar de incompetente ou algo parecido ou mesmo vangloriar-se diante dos outros apontando um erro ou falha.

O Brasil ainda não possui regulamentação jurídica específica, mas o assédio moral pode ser julgado por condutas previstas no artigo 483 da CLT.  Na prática, os tribunais trabalhistas reconhecem o assédio quando caracterizado e comprovado por testemunhas, levando aos empregadores a pagarem indenizações elevadas.

De maneira geral, as empresas precisam preparar-se para orientar bem sua equipe acerca de situações constrangedoras e criar procedimentos para evitar qualquer atitude que se configure em assédio moral: criar regulamento interno de condutas que passe pelo crivo de aprovação de um advogado, avaliar a situação em parceria com a área de recursos humanos e gestão de pessoas, CIPA (comissão interna de prevenção de acidentes), SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do trabalho), reeducar o agressor e, caso não seja possível, adotar medidas disciplinares a ele e oferecer apoio ao funcionário assediado.

O que vale lembrar é que, além as situações eventuais, exigências profissionais, conflitos, más condições de trabalho (falta de espaço, por exemplo) e feedback “acalorado” não são configurações de assédio moral que, por sua vez, precisam ocorrer  repetidas vezes e por um período de prolongado.

O que não se pode é confundir o assédio moral com situações corriqueiras e isoladas do dia a dia, como uma “bronca” do chefe, por exemplo. Pressão faz parte das rotinas de trabalho, senão seria apenas diversão!

 

Cris Santos é Coach pela SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching, especialista em Gestão de Pessoas, Diretora da BrainFit – revitalização profissional. Graduada em Educação Física pela FEC, Pós-Graduada em Fisiologia do Exercício pela USP e MBA em Gestão de Pessoas pela FMU. É Analista DISC pela Success Tools e pela SLAC. Possui formação com Jogos e Dinâmicas pela KDP. Estudou Business Comunication no Autralian College. crissantos@brainfit.com.br – www.brainfit.com.br

 

Comments

1 Comentários desativados em Assédio Moral: o que é e como evita-lo! 2757 20 março, 2014 Cris Santos, Liderança e Pessoal março 20, 2014
Cris Santos

About the author

Cris Santos é Coach pela SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching, especialista em Gestão de Pessoas, Diretora da BrainFit – revitalização profissional. Graduada em Educação Física pela FEC, Pós-Graduada em Fisiologia do Exercício pela USP e MBA em Gestão de Pessoas pela FMU. É Analista DISC pela Success Tools e pela SLAC. Possui formação com Jogos e Dinâmicas pela KDP. Estudou Business Comunication no Autralian College. crissantos@brainfit.com.br www.brainfit.com.br

View all articles by Cris Santos

Pesquisar

Parceiros

Cursos

Facebook