Segmentação no Fitness
Segmentação no Fitness
Posted by

Segmentação no Fitness

banner escolaonline 728x90

A segmentação é um conceito que vem ganhando espaço no setor de fitness brasileiro. Isso porque, cada vez mais, os clientes buscam serviços exclusivos e personalizados. Algumas redes de academia perceberam nessa demanda uma oportunidade para fugir da forte concorrência dos mercados de massa.

Desde o desenvolvimento da produção em grande escala e do fenômeno da massificação, o conceito de atendimento vem passando por grandes transformações. Se antes a preocupação era focar o produto e não, necessariamente, as necessidades dos clientes, com o aumento da concorrência e surgimento de consumidores mais esclarecidos e exigentes, a segmentação tornou-se uma forte tendência também no Brasil. Nesse cenário, o cliente passou a ser o foco principal das empresas, que buscam, cada vez mais, customizar seus produtos e serviços para atender às expectativas de seus consumidores de forma personalizada e com mais eficiência.

São diversas as vantagens para os empresários que optam por atuar em nichos específicos. Além de conseguir oferecer especialização com um preço atrativo, as empresas conseguem diminuir à concorrência em relação aos mercados de massa.

Na área de fitness, a segmentação também já é uma realidade há algum tempo, favorecendo o surgimento de serviços e produtos mais personalizados.

“O crescimento da segmentação no mercado de fitness é uma consequência do próprio desenvolvimento do setor. Toda vez que um determinado mercado cresce, a tendência é segmentar. Além da forte concorrência, o padrão de exigência dos consumidores também fica mais alto. Dessa forma, o apelo comercial passa a ser oferecer um serviço para uma demanda específica de acordo com as necessidades próprias do segmento escolhido”, analisa Almeris Armiliato, consultor na área de Gestão de Empresas e Diretor da Inner Gestão de Pessoas.

Segundo ele, o que vem ocorrendo no Brasil é um fenômeno também comum em outros países. “A grande vantagem da segmentação é a  proteção que as empresas criam contra novos entrantes no mercado. Quando você se torna especialista em um segmento é mais difícil para um aventureiro competir nas mesmas condições de habilidade e conhecimento do público”, acrescenta.

Novas redes

Entretanto, para se ter resultados positivos, a segmentação também impõe algumas regras. Segundo Almeris, um aspecto importante para os empresários que optam por esse caminho é a comunicação. “Quando se oferece algo específico, é muito importante ter bons contatos com o público-alvo para se conhecer exatamente as necessidades desses consumidores, que possuem valores, crenças e uma percepção diferente de produtos e serviços”, aconselha o consultor.

Na opinião de Almeris, o conceito de segmentação deve se consolidar cada vez mais no mercado de fitness. A preocupação por maior qualidade de vida e saúde tem aumentado a procura por academias, inclusive, por parte de clientes que até há pouco tempo não eram o público-alvo principal desses estabelecimentos, como crianças e idosos.

Para atender a essa demanda, redes de academias especializadas no atendimento a esses públicos vêm ganhando espaço no Brasil. É o caso da B-Active, que tem como principal pilar a medicina esportiva e fisiologia do exercício. A proposta surgiu através de pesquisas realizadas em grandes centros mundiais para estudar os benefícios dos exercícios no idoso. Ao descobrirem que o exercício de impacto era um grande vilão, os fundadores se voltaram para o desenvolvimento de programas de exercícios resistidos, conhecidos como exercícios de fortalecimento muscular.

As atividades oferecidas pela B-Active têm sido cada vez mais procuradas por um público que busca programas especializados para evitar as lesões causadas por treinos inadequados ao seu tipo físico, e que oriente quais são as atividades mais apropriadas para ajudar na prevenção, reabilitação e melhoria da qualidade de vida.

A academia conta com mais de 60 aparelhos de ginástica que oferecem proteção articular e ativação muscular. Os treinamentos são elaborados, de acordo com a necessidade e perfil de cada aluno, por um conjunto de médicos especialistas em medicina esportiva, nutricionistas, fisioterapeutas e professores de educação física pós-graduados em fisiologia do exercício.

Para todos os clientes, inclusive os de grupos especiais (portadores de doenças crônicas, como câncer, doença coronariana, pressão alta, diabetes, artrose, artrite entre outras), os programas são individualizados e constantemente monitorados. Relatórios periódicos são enviados aos médicos dos alunos para o acompanhamento da evolução física e clínica.
Embora focada e pioneira no Brasil para a terceira idade a B-Active atende pessoas de todas as faixas etárias. A B-Active também está em expansão no País. A rede abriu, recentemente, a terceira unidade no bairro de Perdizes, em São Paulo.

De olho no público feminino

As mulheres, que sempre foram maioria nas academias, também têm se favorecido da segmentação no mercado de fitness. O público feminino já conta com serviços mais especializados, como a rede Curves de academias.

Voltada exclusivamente para o público feminino, a Curves oferece equipamentos desenvolvidos pela rede com base na anatomia feminina. “Diferentemente dos equipamentos de peso das academias tradicionais, os equipamentos hidráulicos da Curves trabalham sempre, pelo menos, dois grupos musculares ao mesmo tempo, otimizando o tempo de treinamento. Além disso, o equipamento hidráulico tem a grande vantagem de não oferecer risco de lesões, pois trabalha, principalmente, as contrações concêntricas, onde a aluna poderá exigir o máximo do músculo, podendo ser utilizado por qualquer tipo de pessoa, desde a sedentária até a mais bem condicionada”, comenta Luciana Mankel, diretora de operações da Curves.

Segundo ela, hoje, boa parte do público feminino prefere se exercitar em um local exclusivo para mulheres. “São pessoas, na maioria das vezes, que nunca malharam ou que preferem estar em companhia de outras mulheres, com os mesmos objetivos. Outras procuram um ambiente mais acolhedor e descontraído, sem ter que se preocupar com a roupa que usar, por exemplo, mas apenas com a prática do exercício. Além delas, a mulher moderna que trabalha fora e ainda cuida dos filhos, que não tem tempo para ficar duas horas em uma academia tradicional e é consciente que precisa cuidar da saúde, também procura pela Curves, pois oferecemos um serviço que se encaixa perfeitamente às suas necessidades”, explica Luciana.

A Curves é uma rede de academias norte-americana, fundada por Gary Heavin. Quando pensou em criar esse modelo, se baseou em uma experiência vivida por sua mãe, que por ser obesa e apresentar problemas cardíacos, morreu cedo. Ele sabia que isso poderia ter sido evitado se ela praticasse uma atividade física e tivesse uma comunidade de mulheres que a ajudasse. Pensando nisso, Heavin desenvolveu um modelo de academia em que mulheres como sua mãe pudessem frequentar. Daí surgiu a Curves.

No Brasil desde 2003, a Curves tem mais de 200 unidades franqueadas, distribuídas em 17 estados. O número de alunas ultrapassa os 40 mil.  A Curves trabalha com sistema de franquias no mundo todo. “Por se tratar de uma franquia, ou seja, de uma proposta que já traz consigo uma marca e um sistema comprovados, a probabilidade de sucesso acaba sendo multiplicada”, garante Luciana.

Malhação rápida

Em relação aos programas, a Curves oferece um sistema de circuito de exercícios. Em apenas 30 minutos, é realizada uma série completa de fortalecimento muscular e o treinamento cardiovascular. Ou seja, a aluna da Curves faz o equivalente a uma hora e meia de exercícios em uma academia tradicional, só que em apenas 30 minutos.

“Ao trabalhar com um público exclusivo podemos prestar um melhor serviço, pois sabemos exatamente quais são suas necessidades. Consequntemente, a fidelização é muito maior. No caso da Curves, a segmentação atinge um público que nunca teve a oportunidade de participar de uma academia de ginástica, pois não tinha a motivação necessária por achar que não se ‘encaixava’ no ambiente. Esse público estava em casa, sentado no sofá assistindo televisão. Ainda temos muitas pessoas que precisam ser ‘resgatadas’ do sofá, cuidar mais da saúde e fazer novas amizades”, acrescenta.

Nesse sentido, a rede também está engajada em projetos voltados para a promoção da saúde. Neste ano, a Curves lançou mundialmente uma grande campanha para conscientização do público feminino sobre a necessidade da prática da atividade física para prevenção de algumas doenças. O objetivo é fazer com que um milhão de mulheres, em todo o mundo, que hoje são sedentárias, passem a praticar atividades físicas regularmente. “A Curves está incentivando as alunas a serem totalmente ativas nesta campanha, convidando uma amiga para caminhar, ensinando uma receita saudável, levando-a até uma academia etc. Se cada aluna conseguir conscientizar apenas uma pessoa, em um ano conseguiremos fortalecer mais de quatro milhões de mulheres – no mundo, a Curves tem quatro milhões de alunas. Na verdade, acreditamos muito na especificidade do negócio para uma melhor qualidade no atendimento. Cada vez mais, as pessoas buscam atendimento e serviços direcionados e exclusivos. E com as mulheres, isso não é diferente”, explica.

Atenção aos pequenos

Outro público que vem se beneficiando com o crescimento da segmentação é o infantil. Prova disso é o crescimento da rede de academias MY GYM Latin America, que iniciou suas operações no Brasil em março de 2009. A My Gym criou suas duas primeiras academias em 1983, nas cidades de Santa Mônica e Van Nuys, na Califórnia, Estados Unidos. Os fundadores William Sherman e Yacov Caplin & Susi utilizaram suas experiências nas áreas de esporte, dança, desenvolvimento na primeira infância, cinesiologia e ginástica, desenvolvendo um programa em que crianças participam ativamente de uma variedade de atividades estruturadas para adquirir habilidades sociais e autoestima. Hoje, a rede já está presente em mais de 27 países, com  mais 250 unidades em operação.

“A My Gym se posiciona como único centro de desenvolvimento físico, social e mental de crianças no Brasil. Possui metodologia única, testada e aprovada em mais de 29 países”, destaca Leandro Japequino, diretor-presidente MY GYM Latin America.

No Brasil, a rede conta com sete unidades e possui mais de 500 alunos na rede. “A My Gym por definição é uma franquia que oferece aulas estruturadas e individualizadas, divididas por faixas de desenvolvimento para crianças de seis semanas a 13 anos, além de festas de aniversário, campings e muitas outras atividades físicas infantis. Todas sempre são estimuladas em seu limite, aula após aula, mantendo sempre seu desenvolvimento no potencial máximo”, acrescenta.

A maioria das atividades é inspirada na ginástica olímpica. As aulas não ensinam um esporte específico, e sim, incentivam a consciência corporal. “A criança que frequenta a My Gym pratica qualquer outro esporte melhor, pois ela ganha segurança, conhecem melhor o seu corpo e sabem como explorá-lo. A missão da My Gym é contribuir para que a criança tenha um alto nível de confiança e autoestima e se torne um adolescente seguro. As atividades beneficiam o aumento da resistência física, equilíbrio, coordenação e habilidades motoras que resultam na consciência corporal, trabalho em equipe e habilidades esportivas. A My Gym não segue os padrões das academias tradicionais, com aparelhos de musculação. Os monitores, treinados e certificados de acordo com o método norte-americano, são profissionais de educação física, pedagogos, fisioterapeutas e psicólogos”, esclarece.

Segundo ele, a atividade física infantil é um tema muito antigo, entretanto, a nova visão dessas atividades, com a criação de serviços específicos, é uma novidade. “O Brasil possui grande potencial, pois esse tipo de negócio é uma ótima oportunidade para os franqueados. O desenvolvimento urbano e todos os riscos inerentes da vida nas grandes cidades fazem com que os pais busquem lugares saudáveis para o desenvolvimento das crianças. A meta da My Gym é ter 30 unidades nos próximos três anos”, revela Leandro.

Por Madalena de Almeida, jornalismo Gestão Fitness

Comments

0 Comentários desativados em Segmentação no Fitness 14342 01 fevereiro, 2013 Marketing e Vendas fevereiro 1, 2013
Avatar

About the author

Thais Almeida é diretora e curadora de conteúdo deste portal.

View all articles by Administrador

Pesquisar

Parceiros

Cursos

Facebook